Decoração, NOVAS PEÇAS DA CRISTAIS SÃO MARCOS LEVAM O PÚBLICO A UM PASSEIO PELO ORIENTE. Cristais do tipo Murano misturam história, cores, emoções e formatos originais que colocam
a empresa mineira em sintonia com a “onda oriental” que toma conta do país.

Pioneira no Brasil na fabricação de cristais do tipo Murano, a Cristais São Marcos se notabiliza pela criatividade e exclusividade de cores e formas empregadas em suas criações. Comandada pelos irmãos e mestres-vidreiros Antonio Carlos e Paulo Molinari, a empresa apresenta quatro novos conjuntos, entre vasos e garrafas, que trazem requinte e luxo a qualquer ambiente, de uma forma contemporânea e cheia de mistério. Na esteira do sucesso oriental que toma conta do Brasil, a cuidadosa fabricação das peças fez surgir combinações diferenciadas, em tons e temas comuns àquele lado do planeta.

A dupla de garrafas 9004-9005 aparece de maneira soberana, envolta por um ar misterioso que se forma graças ao “véu” estilo indiano que cobre, de cima a baixo, a peça. Os traços em tons terrosos, amarelos e laranjas, parecem soltos sobre o preto que forma a base dos cristais. O fundo transparente e o formato clássico se opõem ao moderno corte diagonal que surge nos bocais.

Os vasos 9006-9007, da mesma linha, têm a atualidade como diretriz, vista no formato ovalado do corpo e dos bocais, que lembram o contorno de uma colher. A principal cor da peça é a preta, que recebe uma mistura de traços vermelhos, laranjas, amarelos e terrosos que, juntos, revelam uma enorme gota no interior dos modelos. Estes vasos também apresentam fundo transparente.

Outra dupla de garrafas, 9002-9003, traz como decoração o fogo cuspido pelo “dragão chinês”, figura mitológica na China que simboliza a sabedoria e o Império do país. As peças apresentam estilo tradicional, visto nos formatos, no bocal e no fundo transparente. O preto dá o tom e, juntamente com os traços vermelhos encontrados na parte inferior, criam algo que se inflama dentro do vidro.

Já o par 9000-9001 de garrafas tem o gargalo como destaque, que aparece levemente curvado e incrustado com uma espiral transparente. A cor predominante também é a preta, que recebe um “cinturão” vermelho no meio das peças e o transparente no fundo.

A busca pelo inusitado e o acabamento inigualável tornam os cristais de Murano vistosos e exuberantes, tanto em suas formas como em suas cores. São modelos imponentes que enaltecem a decoração em todos os tipos de ambientes. Assim são as peças da Cristais São Marcos: instigantes, intrigantes e ricas em originalidade.

História do vidro Murano

A descoberta do vidro é atribuída aos navegadores fenícios quando eles ascenderam suas fogueiras às margens do Rio Belus e o calor fundiu a areia da praia com pedaços de natrão (carbonato de sódio natural, que eles usavam para tingir lã) que foram usados como apoio para esquentar os cozidos. O que se sabe ao certo é que sírios, fenícios e babilônios já trabalhavam com vidro há 4.000 a.C.

Porém, a aplicação do vidro como recipiente para armazenamento surgiu por volta de 1.500 a.C com os egípcios, que usaram o material como embalagem para cosméticos. O uso cotidiano se deu em 100 a.C. com a invenção do tubo de sopro pelos fenícios (novamente) e a massificação dos objetos cristalinos pelo Império Romano nesta mesma época.

Durante a Idade Média, Veneza passou a ser o centro de desenvolvimento do vidro, ganhando tal importância econômica que o Estado italiano chegou a proibir artesões estrangeiros na cidade e, posteriormente, transferiu toda a produção vidreira para a Ilha de Murano, em 1291. O objetivo era manter em segredo as fórmulas e técnicas secretas, transmitidas apenas de pai para filho.

No Brasil, a arte italiana teve origem com a chegada do italiano Aldo Bonara em Poços de Caldas/MG, na década de 50, que utilizou a estrutura de uma fábrica de vidro desativada para criar as primeiras peças nacionais no estilo Murano. Foi nesta mesma época que a família Molinari teve contato com a arte italiana.

Ainda muito jovens, Antonio Carlos (11) e Paulo (8) Molinari passaram por todos os setores da fábrica e logo começaram a produzir pequenos bichinhos e peças simples, consagrando-se como sucessores do mestre italiano e os primeiros mestres-vidreiros brasileiros.

Com o ensinamento “secreto” da arte do Murano e a ajuda de familiares, eles fundaram a primeira empresa nacional, a Cristais São Marcos (1962), que hoje goza do status de referência em vidro artesanais de Murano e maior fabricante deste tipo de artefato na América Latina, produzindo seis toneladas de produto acabado por dia.

O renome mundial foi conquistado em 2007, quando foram exportados quase 3 mil peças da Cristais São Marcos para a Itália. Além do berço mundial do Murano, a empresa exporta seus produtos para mais 26 países: África do Sul, Alemanha, Angola, Argentina, Bahrain, Bolívia, Canadá, Chipre, Colômbia, Costa Rica, Egito, Emirados Árabes Unidos, Espanha, Grécia, Guatemala, Hungria, Índia, Israel, Japão, Panamá, Paraguai, Portugal, Suíça, U.S.A., Uruguai e Venezuela.

SAC: 0800 35 36 00
www.cristaissaomarcos.com.br

fonte: RALCOH ASSESSORIA & ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO